Arquivo de Masturbação

Devo tirar o preservativo após ter ejaculado – dúvida recebida

Categoria(s): Masturbação por Mustafá Jarouche em 07-09-2007

Evite o vazamento após ter ejaculado

Pedro enviou uma importante dúvida sobre continuar penetrando com camisinha após ter gozado.

Se você gozou, mas não ejaculou, não tem problema continuar a penetração, pois não há riscos de vazamento. Agora se você gozou e ejaculou é fortemente aconselhável que pare a penetração.

Mesmo depois de ter ejaculado, alguns homens conseguem permanecer com o pênis ereto por muito tempo. Ainda assim, é necessário tirar o preservativo, pois há riscos de vazamento. Neste caso, pare a penetração, retire e coloque um novo no lugar!

Masturbar impede o desejo por sexo – dúvida recebida

Categoria(s): Masturbação por Mustafá Jarouche em 05-09-2007

A masturbação faz parte de nossas vidas

Altair trouxe uma dúvida pertinente: caso ou compro uma bicicleta? Um importante assunto que já deveria ter sido colocado aqui como artigo: a masturbação.

É fundamental entender que a masturbação não é um vilão até que se prove o contrário. Na verdade, ela é um importante processo de descoberta de desejo, prazer e orgasmo.

É possível afirmar que a masturbação faz parte de nossas vidas, independente de idade ou fase (pai, solteiro, casado, adolescente, etc.). Com relação Á freqüência, isso é muito relativo. Existem pessoas que se masturbam uma vez ao mês e isso as satisfaz. Outras nunca experimentaram.

No seu caso, é necessário compreender qual é o sentido dessa masturbação. Isso não significa que ela impeça você de ter contado com alguém ou desejo por sexo, mas o porquê dela estar te incomodando a ponto de trazer essa dúvida aqui para o kama.

Convido você a olhar esse artigo: Me masturbo todos os dias. Isso é ruim? – dúvida recebida

Esse mês o kama trará diversos artigos sobre masturbação. Fique conosco.

Pênis meia bomba ou bomba e meia – dúvida recebida

Categoria(s): Masturbação por Mustafá Jarouche em 24-08-2007

Pênis meia nomba

A Adriana enviou uma dúvida muito interessante. Recebi uma vez essa pergunta pessoalmente de uma amiga que havia conhecido um cara num bar e ambos se interessaram tanto que acabaram num motel, mas durante a penetração ela percebeu que o pênis dele não estava tão rígido quanto parecia ou que ela queria.

A primeira coisa que precisa ser esclarecida é que isso não é uma doença ou problema de ereção. Pode ser considerado como tal se isso se repetir várias vezes e principalmente se acontecer do pênis não ficar ereto. Mesmo assim, esse homem precisaria passar por um psicoterapeuta sexual que avaliará se trata de um problema de ereção ou não.

O episódio de um pênis semi-rígido é popularmente chamado de meia-bomba. Isso é passível de acontecer com qualquer homem. Quando isso acontece é possível atribuir o episódio a várias causas:

  • Problemas de ereção: causas psicológicas e/ou fisiológicas;
  • Excesso de álcool ou drogas;
  • Ansiedade no momento do contato sexual;
  • Estresse excessivo, por qualquer causa;
  • Baixa excitação no contato sexual;
  • Falta de intimidade;
  • Outras causas psicológicas;

É importante considerar também que o homem possui estágios de ereção e com o passar dos anos, as fases desses estágios se alteram e ele também passa a ter uma ereção menos rígida do que quando adolescente, por exemplo. Assim como as mulheres passam a ter menos lubrificação vaginal.

O que fazer?

A primeira reação do homem é fingir que nada aconteceu, mas é impossível, pois as mulheres sentem e percebem quando um pênis está bem rígido ou não. Desta forma, é possível afirmar que a mulher também finge que nada aconteceu. Melhor caminho ou não, o importante é se o episódio acontecer com freqüência é necessário uma boa conversa entre o casal: com respeito, descontração e sem cobranças.

Sexo anal, praticar ou não – dúvida recebida

Categoria(s): Masturbação por Yasmin Farah em 19-08-2007

Prática sexual, praticar ou não?

Mais uma dúvida recebida referente a prática do sexo anal enviada por Samuel. Ele afirma que gostaria de praticar com sua parceira, mas não sabe como propor. Vamos lá:

O desejo de uma prática sexual deve ser conversado sempre com a parceria, pois consiste em uma busca de prazer que deve ser aceita e satisfazer ambos. É fundamental, para um relacionamento, que os limites de cada um seja respeitado.
Desta forma, obter o consentimento da prática não está relacionado com coerção, ameaça e/ou chantagem, mas desejo, confiança e cumplicidade.

A ausência desses três elementos fundamentais, para quem penetra ou é penetrado, poderá acarretar tensão, nervosismo, medo ou vergonha e conseqüentemente contração do esfíncter e ereção pouco rígida, indicadores negativos para prática. As conseqüências desses indicadores são dores intensas, fissuras, inchaço local e sangramento, além dos aspectos psicológicos.

O ânus não é um órgão anatomicamente preparado para uma relação sexual como a vagina. No entanto, é uma forma de prática e prazer. O maior feedback é a parceria, por isso não se faz uso de anestésico, pois ele impossibilita a percepção da dilatação do ânus e as sensações de se está fornecendo prazer ou machucando. Utilize sempre lubrificante íntimo!

Saiba que a dor intensa é o maior inibidor do consentimento para a continuidade da prática!

Além do aspecto dos psico-fisiológicos considerados acima, nem sempre a forma de se obter prazer sexual é moralmente ou legalmente aceita. A prática do sexo anal é proibida em algumas religiões, e severamente punida em alguns países. Por ela não ser algo convencional, é comum que as pessoas a relacionem como uma prática não sadia. Muito há de ser discutido com sua parceria sobre isso.

Contudo, dê uma repassada nas Sexo anal – 12 dicas importantes colocadas aqui no kama e responsabilize-se. Qualquer prática sexual está sujeita a contaminação de DST. O sexo anal é a prática que traz maior risco de contaminação. Mesmo não tendo o risco de engravidar, sempre utilize o preservativo.

Insatisfação no relacionamento, traição e disfunção sexual

Categoria(s): Masturbação por Mustafá Jarouche em 17-08-2007

Preocupações no relacionamento

V. enviou uma dúvida relacionada a um processo de insatisfação com sua esposa somada a uma traição por ele com outra pessoa e uma insegurança com sua ereção. Leia abaixo, nossa resposta:

O que é traição afinal? É uma pergunta interessante! Não existe uma régua que determina isso, quem estabelece o seu significado é o casal.

Um sentido de traição que deve ser observado, talvez não seja no sentido de “pura sacanagem” colocada na enquete do kama, mas de algo que não vai bem. A insatisfação no relacionamento provoca uma série de reações particulares em cada pessoa, uma delas é a busca por outras parcerias. A partir disso, não é possível garantir que você consiga sucesso, principalmente sexual, nessa relação externa, pois a interna está mal resolvida, assim como os impactos psicológicos causadas por ela.

O que fazer diante disso: Separar? Conversar com a amante e a amada?

A resposta é simples, mas vai depender da vontade e amor próprio daqueles que enfrentam essa dificuldade: procure ajuda profissional de um psicólogo.

Se envolver questões de disfunção sexual, procure um psicólogo qualificado em psicoterapia sexual. Essa opção é um carinho por você e principalmente pela pessoa que estabeleceu um compromisso (casamento). Cuidar de você fará discriminar e entender qual é a melhor caminho a ser tomado.

Líquido melado e ejaculação precoce – dúvida recebida

Categoria(s): Masturbação por Mustafá Jarouche em 10-08-2007

Líquido para tropa passar

Jonas, para esclarecer sobre sua dúvida, falaremos sobre a ejaculação precoce.

A ejaculação precoce ou rápida (termo mais recente) é uma disfunção da resposta sexual masculina que ocorre geralmente no início da vida sexual, mas também pode se desenvolver em qualquer momento. Trata-se de um processo involuntário que ocorre nas preliminares ou logo após a penetração. Faremos um artigo mais específico posteriormente.

Essa melado em pouca quantidade, que você descreve, é um líquido lubrificante e protetor do canal de seu pênis (pinto), para que no momento da ejaculação, os espermatozóides passem rapidamente sem ser prejudicados pelos resíduos da urina, que também passam por ali. Resumindo: São os espermas kamikaze, para o resto da tropa poder passar!

Não é possível estabelecer um diagnóstico sobre se você está ou não com ejaculação precoce. Se a questão te encana, seria importante que procurasse ajuda de um profissional especializado no tratamento das disfunções sexuais. Mande um e-mail para mim: jarouche.mustafa@gmail.com; que eu te passo uma relação de profissionais especializados e confiáveis em sua cidade.

Sexo anal – 12 dicas importantes

Categoria(s): Masturbação por Yasmin Farah em 07-08-2007

Acima de tudo

  • Utilize sempre preservativo;
  • Utilize sempre lubrificante íntimo;
  • O sexo anal é uma escolha pessoal;
  • É importante a confiança da parceria;
  • Nunca utilize nenhum tipo de anestésico;
  • Para conseguir penetração é necessária uma rígida ereção;
  • É o contato sexual de maior risco para se contrair uma DST;
  • É necessário aprender o controle do esfíncter para se obter prazer;
  • Fique atento aos ferimentos que podem ser provocados pela penetração;
  • Converse com a parceria sobre esta prática, seus cuidados, possíveis medos e fantasias;
  • Sempre quando realizar qualquer prática sexual e depois partir ou começar com o sexo anal troque sempre o preservativo;
  • Sua prática freqüente pode provocar afrouxamento do ânus. Isso pode ser evitado com exercícios que tonificam os músculos do esfíncter.

Me masturbo todos os dias. Isso é ruim? – dúvida recebida

Categoria(s): Masturbação por Mustafá Jarouche em 02-08-2007

Abrir o botão da calça

Importante pergunta recebida pelo visitante Fernando. Obrigado por seu contato, veja se esclarecemos:

A masturbação permite que você conheça melhor seu próprio corpo. É importante aprender a extrair o que há de melhor nessa prática. A maior freqüência da masturbação é na puberdade com o início da produção dos hormônios. Geralmente a freqüência masturbatória diminui com o início da vida sexual, isso não significa que você deve interrompê-la. Se ainda existe dúvidas com relação a freqüência com que tem se masturbado, fique atento alguns princípios abaixo:

A masturbação:

  • independe da idade, sexo ou nível sócio-econômico e não causa mal a saúde;
  • é a prática sexual que proporciona uma opção de prazer sozinho ou a dois;
  • não deve atrapalhar suas atividades normais: trabalho, estudo, etc.;
  • deve ser em local apropriado, pois se trata de um momento de intimidade;
  • é uma forma de exercitar suas fantasias eróticas, mas cuidado para que elas não se tornem obsessivas;
  • cumprindo essas diretrizes básicas só resta avaliar o quanto você considera moralmente aceitável. Não cabe aos profissionais da saúde orientar os conceitos morais propostos por sua religião, cultura, etc.

Contrato sexual

Categoria(s): Masturbação por Mustafá Jarouche em 25-07-2007

Nova prática Jurídica

Nova prática jurídica: Contrato Sexual? Trata-se de uma modalidade para regulamentar a relação sexual entre duas pessoas. O texto foi retirado do Blog “Asterisco Rock and Roll” e o kama incorpora em sua base para seus leitores. Segue abaixo o modelo para os interessados:
—————————————–

Você sabe como é o capitalismo: constitui a base das relações humanas. Sim! É verdade, tudo gira em torno das verdinhas (e não falo das “verdinhas” que minha avó cultiva no jardim). Como as relações estão ficando cada dia mais frias e com menos diálogo, resolvemos entrar no barco.

De agora em diante, sexo será por contrato. Assim, é mais fácil, perde-se menos tempo e colocam-se todos os pingos no “I” (ou onde mais for conveniente colocar os pingos). Dessa forma, as “partes” conhecerão previamente suas obrigações e evitam expectativas frustradas. Segue abaixo o modelo do contrato sexual para que seja impresso, autenticado em cartório e posto em prática.

Art. 1:º – Fica proibida qualquer prática sexual entre as partes sem que haja contrato. Quebrada esta regra, nenhuma das partes poderá exigir ressarcimento de prejuízos. A única ressalva é se a prática sexual se realizar do indivíduo consigo mesmo.

Art. 2:° – O contratante se compromete a realizar todas as vontades do contratado desde que este também realize as do contratante. Pode haver acordo e negociação entre as partes, desde que tudo seja autenticado em cartório.

Art. 3:° – O ato só pode ser realizado se ambas as partes concordarem. Quebrada essa regra, o responsável terá de cumprir uma penalidade.

Art. 4:° – O contratante se compromete a satisfazer completamente o contratado e vice-versa. Isso desde que os atos não alterem a dignidade da outra parte.

Art. 5:° – É proibido contar a terceiros, com exagero dos fatos, o que se fez durante a prática sexual. Se a conversa for entre amigos e sem aumentar os verdadeiros fatos, fica a critério do contratante se deve ou não haver punição.

Art. 6:° – É decisão do contratante permitir ou não um cigarrinho para depois.

Art. 7:° – É expressamente proibido que o ato ocorra sem preservativo ou papel-filme. Quebrada essa regra, as conseqüências são de extrema responsabilidade de quem cometeu a infração.

Art. 8:° – Ambas as partes se comprometem a permanecer em atividade até que estejam satisfeitas. Quebrada essa regra, o sujeito lesado pode pedir ressarcimento pelo tempo perdido durante o ato a dois, mais os juros do tempo perdido no ato solitário para compensar a incompetência da outra parte.

Art. 9:° – É de decisão das partes se o ato será completo ou apenas algumas etapas serão realizadas.

Art. 10:° – O presente contrato vale para todos os tipos de orientação sexual e também aos seres sem rótulos.

Art. 11:° – Não é necessário que haja amor entre contratante e contratado. Mas é obrigatório que ambos estejam cientes da ausência ou presença deste.

Art. 12:° – Só será considerado “amor”, se ambas as partes tiverem dito “eu te amo”, em alto e bom som, sem estar embriagados e trouxerem a gravação para autenticar o áudio em cartório.

Art. 13:° – Se comprovado o amor entre as partes, todas as regras deste contrato podem ser revistas. E já adianto que, com amor no meio, tudo pode ficar mais complicado.

Art. 14:° – Depois de realizado o ato sexual, contratante e contratado continuarão livres, a menos que o contrário seja da vontade das partes.

Art. 15:° – Fica terminantemente proibido que uma das partes pense em uma terceira enquanto o ato sexual é realizado. No caso do pronunciamento do nome da terceira parte em som audível para o sujeito lesado, a parte que o pronunciou deve arcar com as conseqüências emocionais da outra.

Art. 16:° – Começadas as preliminares, contratante e contratado se comprometem a ir até o fim. Não será aceita a desculpa “isso nunca me aconteceu antes”. O sujeito que for lesado por este incidente, pode exigir ressarcimento pelo tempo perdido, expectativa frustrada e mais os juros por cada tentativa de “reanimação” da outra parte.

Art. 17:° – O pronunciamento de palavras de baixo calão é permitido desde que haja acordo entre ambas as partes. Para esta regra também vale o “tapinha que não dói” e o “não” teatral que significa “sim, vem logo”.

Art. 18:° – Não serão aceitas reivindicações provenientes do “complexo com tamanho”.

Art. 19 – É proibido fazer comentários a terceiros, posteriores: relação, menosprezando a “capacidade” de ambas as partes.

Art. 20:° – Por último, contratante e contratado não devem se culpar por nenhuma prática quando estas tenham lhes sido agradáveis, porque, estando conforme o contrato, o ato sexual não constitui crime. E é recomendado pelas autoridades com profundo conhecimento em medicina e sacanagem.

Art. 21:° – O contratante e contratado declaram que no momento da assinatura deste contrato, leram-no em sua totalidade, estando de pleno acordo com todos os seus dizeres, artigos e condições impressas, bem como, obrigando-se a respeitá-lo, tal como se acha redigido em todos os artigos e condições, ficando cientificados de que qualquer alegação futura de desconhecimento ou não entendimento total ou parcial do presente contrato será encarada com má-fé, ensejando as penalidades daí decorrentes.

Art. 22:° – Tudo quanto for devido em razão deste contrato será cobrado em ação própria, no Foro Central da Comarca da cidade com renúncia de qualquer outro, por mais privilegiado que seja, correndo por conta do perdedor o principal e todas as despesas judiciais.

Preservativos falsificados

Categoria(s): Masturbação por Mustafá Jarouche em 15-07-2007

Preservativo Falsificado - Jogo dos 7 erros

O consumidor hoje está suscetível a uma incrível quantidade de produtos falsificados, isso se torna mais prejudicial quando se trata de produtos relacionados Á saúde. Pensando nisso, o kama criou um artigo que esclarece sobre preservativos falsificados.

A falsificação de preservativos (camisinha) não é novidade. Desde sua criação em 1999, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) divulga regularmente em seu site notícias relacionada: a falsificação de preservativos no país. É importante destacar que todas as marcas estão sujeitas a falsificação, mas é comum a falsificação das grandes marcas e/ou de marcas desconhecidas.

O uso de preservativos falsificados oferece risco Á saúde, pois não possuem a mesma qualidade que o original: menos resistentes a pressão, mais suscetíveis ao estouro e possuem dimensões (tamanho) e materiais diferentes.

Como identificar um preservativo (camisinha) falsificado:

  • Venda sem nota fiscal;
  • Estabelecimento duvidoso;
  • Preço mais barato que o normal;
  • Ausência de número de lote (impressas em inkjet);
  • Letras e tons de cores diferentes na embalagem;
  • Ausência de informações sobre o produto;
  • Erros de português na descrição;
  • Tamanho e material diferentes no preservativo;
  • Transparência do preservativo translúcida.

O que fazer ao descobrir um preservativo falsificado?

Não utilize o preservativo!

Comunique a ANVISA pelo Disque Saúde: 0800-61-1997 ou pela Ouvidoria no site; que ela tomará as providências necessárias. Informe também o fabricante pelo Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC), descrito na embalagem do produto.

Page 1 of 41234